28 junho 2007

Homem não entra

As estatísticas já ajudam a que hajam "desvios" sexuais, ou seja, está provado que há mais mulheres do que homens por isso das duas, uma; ou um homem tem o privilégio de ter para seu usufruto mais do que uma mulher, ou então elas ter-se-ão de contentar umas com as outras e assim aumentar o número de homossexualidade feminina.
Riccione, no norte da Itália, abriu uma praia exclusiva para mulheres. Conhecida como a praia "cor-de-rosa", o local proíbe a presença masculina e teve a infra-estrutura elaborada para promover o bem-estar e o conforto das mulheres. Um cartaz colocado na entrada avisa aos visitantes que o acesso aos homens está interditado e, de longe, é possível ver as diferenças entre a praia "cor-de-rosa" e as demais praias italianas.
No bar e no restaurante da primeira praia feminina italiana, nutricionistas elaboraram menus para as mulheres que não querem abandonar a dieta.
Diversas formas de entretenimento, como cursos de cozinha e aulas de ginástica fazem parte da programação e, nas tardes de domingo, cabeleireiros, esteticista, manicuras e maquiadores estão à disposição das frequentadoras.

Alguns dos argumentos para se aceitar esta nova ideia é o facto das mulheres se sentirem menos intimidadas com o preconceito de mostrarem ao sexo oposto as gordurinhas a mais.
Amigas….mas será que não percebem que nesse aspecto as mulheres são bem mais ríspidas e criticas do que certos homens?!
Não serei das melhores pessoas para me pronunciar muito sobre este assunto, até porque não sou grande apreciadora de praia. A título de curiosidade até poderia pôr os pés naquela praia, mas até aqui estou de acordo coma a ciência: nada como a diversidade. Ambiente só feminino é do pior e não tenho pachorra para isso…

Nota: Portugal é tido como conservador, mas para espanto de muita gente, este novo conceito não tem muito apoio por estes lados !

1 comentário:

Debby disse...

E depois na praia fazia-se o quê para além de dormir? Não gostei