19 abril 2007

Dá-me o tempo...

[ Este sim, é o exemplo vivo que um bom músico não é aquele que canta bem, mas sim aquele que tem uma, inigualável forma de escrever e de transmitir um sem número de sentimentos através dessa forma universal de expressão que é a música.
Lamento mesmo não ter conseguido arranjar a música/vídeo correspondente a esta letra.
De qualquer das formas não poderia deixar de demonstrar, uma vez mais, a minha admiração por este músico, cantor, interprete, escritor... mais uma prova absolutamente genial, de que este senhor é um músico completo ! Que grande letra !!!! ]


Deita-te em mim,
Descobre onde estás,
Escuta o silêncio,
Que o meu corpo te traz.
Não me deixes partir,
Não me deixes voar,
Como um pássaro louco
Como a espuma do mar.

Sente a força da noite
Como facas no peito,
Como estrelas caídas
Que te cobrem o leito.
Tenho tantos segredos
Que te quero contar
E uma noite não chega,
Diz que podes ficar.

Dá-me o tempo,
Dá-me a paz,
Viver por ti não é demais.
Dá-me o vento,
Dá-me a voz,
Viver por ti, morrer por nós.

Enfim nós os dois,
Os teus gestos nos meus,
Perdidos no quarto
Sem dizermos adeus.
Adiamos a noite,
Balançamos parados,
Pela última vez
Os nossos corpos colados.

Sente a força que temos
Quando estamos assim,
Um segundo é o mundo
Que nos separa do fim.
Porque tens de partir
Quando há tanto a dizer?
Eu não sei começar,
Não te quero perder.

Refrão

(Eu gosto das formas que tomas,
Como o toque do cristal,
E dos vidros, dos poemas,
Da febre do metal)

Pedro Abrunhosa
[ Fica aqui também o agradecimento a quem me deu conhecimento desta música ! ]

2 comentários:

Pipoca disse...

Muito forte e íntima...Bem ao teu jeito .

Ruben disse...

ainda não ouvi a música, mas a letra realmente tem o poder de nos "mandar contra a parede" para vermos a verdadeira essência dos sentimentos.
como tu dizes, so mesmo o Pedro A. para conseguir isto.