04 abril 2007

Apenas Adeus


E no meio dessa confusão alguém partiu sem se despedir; foi triste. Se houvesse uma despedida talvez fosse mais triste, talvez tenha sido melhor assim, uma separação como às vezes acontece em um baile de carnaval — uma pessoa se perde da outra, procura-a por um instante e depois adere a qualquer cordão. É melhor para os amantes pensar que a última vez que se encontraram se amaram muito — depois apenas aconteceu que não se encontraram mais. Eles não se despediram, a vida é que os despediu, cada um para seu lado — sem glória nem humilhação.

Creio que será permitido guardar uma leve tristeza, e também uma lembrança boa; que não será proibido confessar que às vezes se tem saudades; nem será odioso dizer que a separação ao mesmo tempo nos traz um inexplicável sentimento de alívio, e de sossego; e um indefinível remorso; e um recôndito despeito.

E que houve momentos perfeitos que passaram, mas não se perderam, porque ficaram em nossa vida; que a lembrança deles nos faz sentir maior a nossa solidão; mas que essa solidão ficou menos infeliz: que importa que uma estrela já esteja morta se ela ainda brilha no fundo de nossa noite e de nosso confuso sonho?

Talvez valesse a pena dizer que houve um telefonema que não pôde haver; entretanto, é possível que não adiantasse nada. Para quê explicações? Esqueçamos as pequenas coisas mortificantes; o silêncio torna tudo menos penoso; lembremos apenas as coisas douradas e digamos apenas a pequena palavra: adeus.

2 comentários:

Ruben disse...

Martita,
Vem agora arrisca o que há em ti
Não há nada mais p’ra te prender
Solta o mar que amarras perto aqui
Acende no peito o que vier
Vem tentar devorar o sol
Acredita em ti
Porque a vida é só um dia só...
E a noite anda por aí
Vem comigo Sou contigo
Desce a rua Rouba a lua
Traz o vento no olhar
Sopra o céu,
Leva o sol,
Vê o que a noite, tem p’ra dar
Num fio de céu vem sentir, esse amor
Abre as mãos e tenta mudar tudo
Mistura a chuva e o sol
Recolhe a dor que hà no teu mundo
Entorna o medo e queima-a no céu
Vem cá fora arriscar o sonho
Acredita em ti

[Quero ver esses lindos olhos azuis a brilhar]

Miguel disse...

" que importa que uma estrela já esteja morta se ela ainda brilha no fundo de nossa noite e de nosso confuso sonho? "
Espero que saibas que apesar de tudo ainda tenho a esperança que um dia serás, com o teu consentimento, a minha estrela e que brilharás no meu coração e na minha vida !