03 setembro 2007

Recompensa

Sei que tenho um feitio nada fácil, mas há momentos e pessoas que nos fazem esquecer tudo de mau e sentir-nos as pessoas mais felizes. A minha afilhada é uma das poucas pessoas que consegue este milagre. Pôr-me bem disposta mesmo num dia em que me apetece disparatar com toda a gente que apareça à minha frente. Só ela é que corre para mim com um sorriso de orelha a orelha e com aqueles olhos a brilhar. Aquela corrida que só ela faz. É a preparação para um salto para o meu colo, um abraço super apertado e...

M. - Madrinha !!! Estás cá hoje . Que bom...sabes que estava cheia de saudades tuas?
Eu - (super babada) A sério? A madrinha também tinha muitas saudades tuas.
M. - Tens que vir cá mais vezes. Queria tanto estar mais vezes contigo. Não acho nada boa ideia esse teu trabalho. Agora vens cá ver-me poucas vezes.
Eu - Mas sabes que não posso vir. Tu bem podias ir passar um dia com a madrinha.
M. (com um sorriso de gozo só dela )- Oh...mas nós já falámos disso. É muito longe e acho que não me ia portar bem.

Depois de me ter contado o que tinha andado a fazer durante o dia, lá arranjou uma pergunta pertinente:

M. - Madrinha, quando é que me arranjas um padrinho emprestado?
Eu (embasbacada)- Mas tu já tens um padrinho a sério, para que é que queres um emprestado? Eu acho que não precisas de outro, já tens um verdadeiro
M. - Eu sei...mas eu gostava de ter um emprestado.
Eu - Vou pensar nisso...
M. - Mas madrinha, quando arranjares o padrinho tens que me dizer porque quero-lhe dizer que tu és só minha (mais um abracinho apertado e um beijo daqueles...)
Eu- (com um sorriso enternecido) Fica descansada , eu aviso-te.
M.- Está bem. Assim, quando te arranjar um afilhado emprestado vais ser a primeira a saber para lhe dizeres que eu sou só tua...Adoro-te madrinha !


Palavras para quê...

1 comentário:

A. disse...

Ah grande miúda...Tal afilhada tal madrinha